Três artistas contemporâneos, compositores e parceiros em diversas músicas, com carreiras distintas e independentes resolveram estar juntos para formar um coletivo de marchinhas. Marcelo Quintanilha, Jota Velloso e Thathi são OS MARCHISTAS.

 

E assim, desde 2013, ainda com a primeira formação, com Tenison Del Rey, OS MARCHISTAS invadiram os pré carnavais de São Paulo e Rio, e principalmente o carnaval de Salvador, tocando nos projetos de palco e de rua e nos melhores camarotes da festa, ao lado de artistas consagrados como Daniela Mercury e Gilberto Gil. 

As marchinhas reinavam soberanas em carnavais entre as  décadas de 1920 e 1960. O mundo mudou, a música mudou, os carnavais também mudaram. As ruas e as festas do Rei Momo se tornaram espaços de disputas individuais, cheios de mercado e de projeções de imagens. Muita indústria pra tudo, e chegamos ao tempo em que dar um passo a frente talvez seja dar um passo para trás. “Resignificar” o que é velho, o que é o novo. A ideia de que o novo na música só é a desconstrução dela mesma, também não cabe mais.

O conceito musical está essencialmente no uso de blocos temáticos que compõe os shows: Há o bloco de marchas-rancho, o bloco de marchinhas antigas, o de frevos, o de ijexás, o de canções famosas que não eram, mas “viraram” marchinhas, e tantos outros. Tudo isso intercalado há novas marchinhas autorais, como a premiada “Me Cutuca”, que ganhou 1º Concurso de Marchinhas realizado em Salvador em fevereiro de 2014. Faturaram também o segundo lugar com “Ele é Mulher no Carnaval”.   A “Marchista” Thathi, empunhando a guitarra baiana, instrumento pouquíssimo adotado na música brasileira, dá um charme único a este trio eclético, que ainda conta com a voz e o violão de Marcelo Quintanilha e a voz de Jota Velloso. Batera, baixo e teclado completam a banda que os acompanha.

Com repertório bem variado, e temas ligados aos dias de hoje, o coletivo traz charme e frescor ao clássico repertório de marchinhas que unem gerações e religam nossa identidade à nossa memória.

Querem estar nos carnavais de rua, querem carnavalizar com poesia shows de música, como cantam na música “Carnaval de Rua” de autoria de Marcelo Quintanilha “Vem, vem dançar na rua, vem, vem que a rua é sua…”, “…deixa de frescura e desce desse salto, vem se misturar na multidão”.

 

Na marchinha intitulada  “Os Marchistas” de autoria de Tenison Del Rey, Thathi, Marcelo Quintanilha e Gerson Guimarães, cantam “…Nós os Marchistas não somos dentistas, Nem radialistas, Nós somos artistas querendo cantar…”.  É isso!

 

Para lembrar do que não pode ser esquecido, para ser novo, para misturar, para seguir em frente “com memórias e novas histórias”. Para lembrar que a rua é nossa, sem cordas e que marchinhas são músicas para o ano inteiro.

Por que não?

OS MARCHISTAS

Clique e arraste para espalhar as fotos por sua tela

Clique e arraste para espalhar as fotos por sua tela

Assessoria de Imprensa:

 

Tel. 11 99245 4138

imprensa@adrianabalsanelli.com.br

Adriana Balsanelli

Shows:

Conexão Musical

Tel. 11 97189-7425

pettersonmello@gmail.com

Petterson Mello

© 2017 MARCELO QUINTANILHA All rights reserved.

  • Black YouTube Icon
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle